Fauvismo, Movimento Pictórico do início do Século XX

Tags

Fauvismo, Movimento Pictórico do início do Século XX Fauvismo, Movimento Pictórico do início do Século XX

O Fauvismo foi um movimento pictórico do início do século XX, o fauvismo reuniu um grupo de pintores que desejavam libertar a cor das regras tradicionais da pintura, marcadas pelo intelectualismo, e dos condicionamentos impostos pela cor natural dos objetos. Devido à violência com que usavam as cores puras, esses artistas foram chamados pelo crítico Louis Vauxcelles de fauves ("feras"), donde o nome do movimento.

Primeiro dos movimentos artísticos de vanguarda do século XX, o fauvismo, com seu desprezo pelo realismo imediato, foi o precursor do abstracionismo.

Os primeiros contatos entre os fauvistas começaram por volta de 1892, quando Henri Matisse conheceu, entre outros, Albert Marquet, Henri Manguin e Charles Camoin, seus colegas na Escola de Belas-Artes. A eles logo se uniram André Derain e Maurice Vlaminck e, depois, um grupo procedente do Havre: Othon Friesz, Raoul Dufy, Kees van Dongen e Georges Braque. No grupo dos fauvistas, sobressaíram principalmente Matisse, que pintou "Mulher com chapéu" e "A arraia verde", Derain e Vlaminck, que pintavam paisagens em cores vivas.

A primeira exposição dos fauvistas foi no Salão do Outono de Paris, em 1905. O grupo não era homogêneo nem seguia a mesma orientação teórica. Seus integrantes tinham em comum apenas o uso agressivo e arbitrário das cores, que eles preferiam puras e quentes. Também as sombras adquiriam tons fortes e contrastados, pois o grupo recorria ao efeito das cores justapostas, quase sempre em pinceladas separadas. O interesse de todos esses artistas em fazer quadros decorativos, que agradassem a quem os contemplasse, foi outra característica do movimento.

Em sua evolução, o fauvismo recebeu a influência de mestres pós-impressionistas, como Seurat, com sua técnica de divisão de cores, presente nos primeiros quadros dos fauvistas, e Van Gogh, que nitidamente inspirou Vlaminck, com suas pinceladas soltas e espessas. Mais tarde, por influência de Gauguin, os artistas passaram a usar a cor em manchas planas e extensas. O construtivismo de Cézanne também influenciou o movimento, o que coincidiu com o desmembramento do grupo, ocorrida em 1908, quando os artistas optaram por estéticas diversas. Os fauvistas tiveram também influências da arte primitiva e oriental.

A violência cromática e a impetuosidade do fauvismo em sua fase inicial aos poucos se perderam. Alguns artistas, como Friesz e Marquet, mantiveram temas de cunho impressionista; outros, como Dufy, optaram por cenas da vida campestre e urbana. Van Dongen concentrou-se no retrato e nos flagrantes da vida noturna, com uma cor exaltada próxima da ferocidade de Vlaminck. Braque, por sua vez, evoluiu para uma nova construção das formas que o levou ao cubismo. Embora o fauvismo tenha tido curta duração e seus integrantes viessem a adotar tendências pictóricas muito diversas, persistiram em todos eles o gosto pelas cores vivas e uma alegria  que se expressa, por exemplo, nas corridas de cavalos de Dufy, nas marinhas de Marquet, nas paisagens de Derain ou nos peixes vermelhos de Matisse.

www.megatimes.com.br