TERREMOTO FORMA NOVA ILHA NO PAQUISTÃO

O forte terremoto que matou pelo menos 300 pessoas na terça-feira (24 de setembro de 2013) no sudoeste do Paquistão, além de destruir uma série de casas em uma área montanhosa remota e causar a formação de uma nova pequena ilha perto da costa sul do país.

Os tremores foram sentidos até na capital da vizinha, Nova Déli, a centenas de quilômetros a leste, onde edifícios tremeram.

O erviço Geológico dos Estados Unidos informou que o terremoto de magnitude 7,7 ocorreu 235 quilômetros a sudeste de Dalbandin, na província paquistanesa propensa a terremoto do Baluquistão, que faz fronteira com o Irã.

O terremoto foi tão forte que causou uma elevação do fundo do mar e criou uma pequena ilha a cerca de 600 metros da costa paquistanesa de Gwadar, no Mar Arábico.


As emissoras de televisão mostraram imagens de um trecho de terreno rochoso elevando-se acima do nível do mar, com um grupo de pessoas perplexo reunido na praia para testemunhar o fenômeno raro.
Autoridades disseram que dezenas de casas de taipa foram destruídas por tremores secundários na região montanhosa pouco povoada perto do epicentro do terremoto no Baluquistão, uma província árida marcada por desertos e montanhas.

Abdul Qadoos, vice-presidente da Assembleia do Baluchistão, disse à Reuters que pelo menos 30 por cento das casas no distrito pobre de Awaran ficaram destruídas.

O subcomissário local em Awaran, Abdul Rasheed Gogazai, e o porta-voz do corpo militar de fronteira do Paquistão, envolvido no esforço de resgate, disseram que pelo menos 45 pessoas foram mortas.

A televisão local informou que helicópteros que transportam suprimentos foram enviados para a área afetada. O Exército disse que tinha deslocado 200 soldados para ajudar a lidar com a catástrofe.