PARAFUSO DE 300 MILHÕES DE ANOS É ENCONTRADO NA RÚSSIA

Tags

Pesquisadores russos realizou uma surpreendente descoberta em uma expedição na região de Kaluga: um parafuso fossilizado que, após análises, foi datado com idade superior a 300 milhões de anos. Tudo começou no decorrer de 1996, quando um grupo de pesquisadores russos, dedicado ao estudo de fenômenos ufológicos, partiu em busca de fragmentos de um meteorito que caiu na região russa de Kaluga.

Eles, contudo, nunca imaginariam o que estavam prestes a encontrar. Em vez de um meteorito, descobriram um fóssil de um parafuso, de aproximadamente dois centímetros de comprimento.

Após recolher cuidadosamente as rochas que estavam incrustadas no objeto e depois de analisar com raio X as amostras obtidas, os pesquisadores determinaram que esse parafuso remonta à época em que os répteis começaram a aparecer na Terra, ou seja, há aproximadamente 320 milhões de anos. E este parafuso não estava só, já que dentro das pedras foi encontrado ao menos outro parafuso.

A comunidade científica recebeu este achado com grande surpresa. Como é possível que uma ferramenta de tecnologia semelhante pudesse existir em uma época em que o homem ainda sequer existia na Terra? Seria um indício de que civilizações avançadas teriam rondado o nosso planeta? As perguntas ainda são muitas e, quem sabe, novas ferramentas de pesquisa nos ajudem em breve a obter algumas respostas.

Verdadeiro ou falso?
De fato, ao que tudo indica, a foto é real! Apesar disso, a história não é bem essa…

A notícia foi publicada inicialmente em um tabloide grego em agosto de 2012. Outros sites e blogs reproduziram a história, mas não encontramos muitas referências diferentes das citadas pelos gregos. Aliás, o tabloide não da muitas pistas de onde foram tiradas as informações.

O fóssil do pequeno parafuso teria sido descoberto em uma escavação em 7 de outubro de 1996 por um grupo de “cientistas” chamado Kosmopoisk , uma organização russa que financia pesquisas sobre OVNIs , criptozoologia e outras ciências e/ou personagens da pseudociência paranormal (além de diversos “assuntos misteriosos”).

A organização possui mais de 2.500 membros ativos em quase uma centena de grupos espalhados em 25 países e já organizou mais de 250 expedições desde 1980. A natureza científica da Komopoisk é meio obscura e entre seus projetos estão o anúncio do desenvolvimento de uma máquina do tempo feita por seu líder, Vadim Chernobrov.

Também não se sabe o motivo do achado ter sido divulgado somente no ano passado.
 
Afinal, o que é o parafuso?
Muito se falou sobre o parafuso por aí, mas a verdade é que o objeto não tem nada de extraterreno ou de sobrenatural. O achado nada mais é do que o tronco de um fóssil de Crinóidea.


Os crinoides fazem parte da classe de equinodermos que inclui os organismos conhecidos como crinoides, lírios-do-mar e comatulídeos. São animais marinhos que ocupam todas as profundezas até aos 6000 metros e se alimentam por filtração.

Sabe-se que os primeiros registros de crinoides datam do período Ordoviciano, que começou há 488 milhões anos e terminou 443 milhões de anos atrás.

Conclusão
Não há nada de misterioso, extraterreno ou inexplicável no tal parafuso. Trata-se apenas do caule de um organismo marinho fossilizado.