INVESTIGAÇÃO DESCOBRE MINHOCAS VIVAS EM DESTROÇOS DO ÔNIBUS ESPACIAL COLUMBIA

O conselho independente que investiga o acidente com o ônibus espacial Columbia confirmou hoje que algumas minhocas que eram utilizadas em experimentos na nave sobreviveram.

Os sete astronautas que faziam parte da tripulação morreram quando a espaçonave desintegrou-se ao entrar na atmosfera no dia 1º de fevereiro.

Segundo a equipe que investiga os destroços, as minhocas estavam no módulo ''SpaceHab'', e não no compartimento da tripulação, o que pode representar muito pouco avanço nas investigações das causas do acidente.

A Nasa informou que as minhocas foram encontradas no Centro Espacial Kennedy (Flórida), onde os destroços estão sendo analisados.

Os animais não eram os mesmos que partiram da Terra no ônibus espacial, já que eles têm uma expectativa de vida de sete a dez dias, mas são descendentes daquelas minhocas.

Nova fase
A comissão de investigação do acidente entrou em uma nova fase, depois de eleger oficialmente uma hipótese favorita para explicar a catástrofe.

A culpa, como já se especulava desde o início, seria da espuma que se desprendeu do tanque de combustível principal da nave durante a decolagem. Ela teria se chocado com a porção frontal da asa esquerda do ônibus espacial, enfraquecendo uma das peças de carbono reforçado que compõem a lateral da estrutura.

Durante o segundo dia do vôo, a tal peça se desprendeu da nave. O evento foi registrado em imagens de radar feitas pelos militares americanos, que só foram analisadas após o acidente. A ausência da peça permitiu a entrada de ar durante o retorno à região mais densa da atmosfera terrestre.

80 experiências
O acidente ocorreu quando o Columbia voltava à Terra depois de 16 dias em órbita, quando sua tripulação tentava realizar as 80 experiências programadas, cujos resultados foram previamente transmitidos para a Terra.

O ônibus espacial -o mais antigo do atual programa espacial norte-americano, lançado pela primeira vez em 12 de abril de 1981- teria se desintegrado durante sua entrada na atmosfera terrestre, a 63 quilômetros de altitude, matando toda a sua tripulação, composta por seis astronautas americanos e um israelense.

O acidente com o ônibus espacial Columbia é o primeiro durante uma aterrissagem em 42 anos de realização de vôos espaciais.

Há 17 anos, no dia 28 de janeiro de 1986, o ônibus espacial Challenger explodiu pouco depois da decolagem, matando os sete tripulantes.

Fonte: Mega Times e Klima Naturali
Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

Posts Relacionados