COMO SURGIU A ASTRONOMIA?

Tags

Como surgiu a Astronomia?
Antes de respondermos a essa pergunta, precisamos saber primeiramente o que é Astronomia: é a mais antiga ciência que estuda as características físicas, o movimento e a evolução dos corpos celestes. Desde os primórdios da história humana até diversos povos como: os mesopotâmicos, os egípcios, os indianos, os persas e os chineses, foram os primeiros grupos a observarem os corpos celestes. Com essas observações feitas a olho nu, eles conseguiam saber os períodos ideais para a plantação, colheita e outras atividades agrícolas. Com toda essa necessidade de regular os cultivos foram criadas as estações do ano e os calendários. É importante destacar que a disciplina da Física serviu muito para a Astronomia, fazendo com que estimulassem cada vez mais a atividade cientifica, tanto na Física como na Matemática e na Mecânica. Dentre todas essas observações foi criando-se um caráter místico para os corpos celestes, sendo assim, surgiu uma nova área da Astronomia, a Astrologia (Horóscopos, comportamento das pessoas com base nos corpos celestes, etc.).

Com o passar do tempo, a Astronomia foi se modernizando e criando um novo nome: A Astronomia Moderna, que obteve esse nome em meados do século XX e se diferenciava da Astronomia Antiga devido as suas técnicas de observação, descrição, formulação de leis na óptica, no eletromagnetismo, na mecânica e na Matemática.

E é através dessa Astronomia Moderna que descobrimos cada vez mais os segredos do Universo!       

O Sloan Digital Sky Survey
Os computadores mais rápidos e os sistemas de armazenamento de dados de maior capacidade permitem aos astrônomos obterem imagens digitais do céu, assim como processar e armazenar os dados que coletam. Estes avanços tecnológicos levaram a criação do Sloan Digital Sky Survey (SDSS), que mapeia um quarto de todo o céu com detalhe digital, determinando posições e luminosidades de centenas de milhões de objetos no céu. 

Também é capaz de medir distâncias de um milhão de galáxias mais próximas, possibilitando uma imagem tridimensional do Universo, com um volume cem vezes maior do que as imagens que se tinha antes de sua criação. O SDSS também capta distâncias de 100 mil quasares, os objetos mais distantes conhecidos, fornecendo uma visão sem precedentes da distribuição de matéria no limite do Universo visível.

O SDSS utiliza um telescópio especialmente construído (de 2,5m) no Novo México (EUA). O telescópio é fixado para apontar diretamente em direção ao céu. Enquanto a Terra gira, outras partes do céu se tornam visíveis ao telescópio. Ao longo de uma noite, o telescópio observa imagens de uma "listra" do céu. O telescópio funcionou até o ano de 2005 em noites claras fez imagens em forma de listras cobrindo no total um quarto do céu noturno. 

 Funções realizadas pelo SDSS:
• Coletou espectros, que medem a quantidade de luz que um objeto emite em diferentes comprimentos de ondas eletromagnéticas. 

• Mediu espectros de mais de 1 milhão de galáxias.

• Observou algo em torno de 10 mil graus quadrados. 

• No hemisfério sul, ele obteve imagens das mesmas faixas de céu repetidas vezes, permitindo a visão de fontes muito mais fracas e facilitando a busca por objetos variáveis. 

Atualmente, não se tem notícias sobre o SDSS, mas sabe-se que, se ainda é utilizado, conseguirá captar imagens cada vez mais fantásticas. Isso é uma forma de desenvolver ainda mais a astronomia atual; com a utilização dessas máquinas modernas (como o SDSS, Hubble etc.), os astrônomos podem descobrir segredos e mistérios escondidos ao longo do Universo! 

Telescópio Hubble
O Telescópio Espacial Hubble é um satélite artificial não tripulado que transporta um grande telescópio para a luz visível e infravermelha. Foi lançado pela NASA em 24 de abril de 1990, a bordo do ônibus Espacial da Discovery. Este telescópio já recebeu três visitas espaciais da NASA para a manutenção e para a substituição de equipamentos obsoletos ou inoperantes.

Imaginado nos anos 40, projetado e construído nos anos 70 e 80, o Telescópio Espacial 'Hubble' está revolucionando a Astronomia, assim como a luneta de Galileu no século XVII. Ele foi batizado em homenagem a Edwin Powell Hubble.

Pela primeira vez era possível ver mais longe do que as estrelas da nossa própria galáxia e estudar estruturas do universo até então desconhecidas ou pouco observadas. O Hubble, de uma forma geral, deu à civilização humana uma nova visão do universo. A luz dos astros para chegar a ele não precisa passar por nossa atmosfera. Pois toda informação que obtemos de um astro está na luz que vem deles.

Exemplo de uma das imagens tiradas pelo Hubble é a Nebulosa da Formiga. Ela é uma nebulosa planetária, ou seja, o resultado de uma fase avançada da vida de uma estrela como o Sol.
Mas apesar de toda essa tecnologia o telescópio Hubble vai ser substituído por outro telescópio em 2013, o Telescópio Espacial James Webb. Esse novo telescópio será a próxima maravilha da astronomia, pois peritos da NASA garantiram que este permitirá de scobrir o nascimento do universo e vida possível em outros sistemas solares.

 “Roupa Espacial”
A empresa Orbital Outfitters está trabalhando numa roupa que saia a mais de 100 km da superfície e aterrisse são e salvo.

Mas ainda tem várias dificuldades, pois nessa roupa deve conter jatos que suporte a variação de temperatura de – 40°C a 240°C e uma velocidade de até 4000 Km/h e deve, também, conter pára-quedas.

A finalidade desse projeto é que essa roupa seja usada em um esporte; o futuro space diving ou mergulho espacial. 

Está previsto para se iniciarem os testes no final de 2009 e em 2015 eles esperam que o 1º surfista orbital esteja partindo de um hotel ou estação espacial. 

Eles estavam à procura de voluntários e no começo acharam q ninguém iria aceitar, afinal, tinha q sair a 100 Km da superfície mas isso não aconteceu, choveram cartas.

Esse é um dos exemplos de como a Astronomia, e as criações atuais têm se desenvolvido. 

Mais um grande passo para a humanidade!

“O Homem chega à Lua”
 No dia 4 de outubro de 1957, os russos puseram em órbita o primeiro satélite da Terra fabricado pelo homem: o Sputnik. O único som que se ouviu vindo do espaço foi um "bip". Mas, um "bip" que provocou entusiasmo em todos os homens e que foi retransmitido por todas as rádios do planeta.

Em 12 de abril de 1961, Yuri Gagarin tornou-se o primeiro homem a viajar em órbita em torno do planeta. A viagem durou pouco mais de uma hora. E Gagarin transformou-se em herói nacional.

No mesmo ano, 1961, o presidente John Kennedy, dos Estados Unidos, declarou que em dez anos um americano pousaria na Lua.
"We choose to go to the moon in this decade and do the other things, not because they are easy but because they are hard", disse o presidente na ocasião.
 
 Oito anos se passaram e a viagem à Lua iniciou-se numa quarta ensolarada no dia 16 de julho de 1969, às 9:32 da manhã, no complexo 39 da plataforma de lançamento A, no Kennedy Space Center, Flórida, EUA, com o lançamento da Apolo XI.
 
Quatro dias mais tarde, em 20 de Julho de 1969, ás 23h, 56min e 31seg (horário de Brasília), o astronauta americano Neil Armstrong, 38 anos, entrava para a história como o primeiro homem a pisar na Lua e avistar a Terra de lá (com um batimento cardíaco de 156 por min!). A bordo da nave Apolo XI, ele, Edwin Aldrin, conhecido como "Buzz" e Michael Collins cumpriram a missão de alunar após levantarem vôo em 16 de Julho. Ao pisar na lua, Neil disse: “ Este é um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”.
 
O mundo inteiro permaneceu em alerta naquele dia. Nada menos que 850 jornalistas de 55 países registaram o acontecimento. E estima-se que cerca de 1,2 bilhão de pessoas testemunhavam via satélite a alunagem, considerada impossível tempos atrás. Muitos, inclusive, ainda duvidam de que tal facto tenha realmente acontecido, mesmo com tantas outras missões tripuladas que se lançaram no espaço, após Armstrong ter colocado seu pé esquerdo, coberto pela bota azul, no chão fino e poroso do solo lunar.
 
Os astronautas voltaram à Terra no dia 24 de Julho de 1969, chegando com 30 segundos de atraso, e foram recebidos como heróis. Desde então, os satélites têm revolucionado os sistemas de comunicação e há naves não tripuladas viajando para além dos limites do sistema solar.

Curiosidades:

- O primeiro passo na Lua foi dado com um pé tamanho 41. Este era o número da bota azul do astronauta Neil Armstrong, então com 38 anos. O passo foi dado com o pé esquerdo;
 
- Neil Armstrong e Edwin "Buzz" Aldrin, o segundo astronauta a pisar na Lua, fincaram ali uma bandeira metálica dos Estados Unidos e colocaram uma placa junto à perna do módulo lunar, assinada pelos astronautas e pelo presidente americano Richard Nixon: "Aqui os homens do planeta Terra puseram pela primeira vez os pés na Lua. Julho de 1969 d.C. Viemos em paz em nome de toda a humanidade";