FATOS QUE MARCARAM OS ESTADOS UNIDOS NA DÉCADA DE 2000

FATOS QUE MARCARAM OS ESTADOS UNIDOS


Nos Estados Unidos, George W. Bush é eleito Presidente em 2000 como o candidato republicano, recebendo uma maioridade dos votos eleitorais, porém perdeu nos votos populares para o então-Vice Presidente Al Gore. Depois de oito meses de Bush iniciar o seu primeiro mandato como presidente, os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 ocorreram. Em resposta, Bush anunciou uma guerra global contra o terrorismo, ordenou uma invasão ao Afeganistão no mesmo ano, e uma invasão ao Iraque em 2003. Além das questões de segurança nacional, Bush promoveu políticas de reforma na economia, saúde, educação, e segurança social. Ele assinou leis de corte geral de impostos, o No Child Left Behind Act e a Medicare para idosos. Sua posse viu um debate nacional sobre a imigração e Segurança Nacional.

Bush concorreu, com êxito, à reeleição contra o democrata John Kerry em 2004, conquistando 50,7% dos votos populares contra 48,3% de seu oponente. Após sua reeleição, Bush recebeu críticas cada vez mais fervorosas de conservadores. Em 2005, a administração de Bush sofreu as críticas generalizadas sobre movimentação do furacão Katrina.

O Furacão Katrina foi um grande furacão, que destruiu uma parte dos EUA uma tempestade tropical que alcançou a categoria 5 da Escala de Furacões de Saffir-Simpson (regredindo a 4 antes de chegar a costa sudeste dos Estados Unidos da América). Os ventos do furacão alcançaram mais de 280 quilômetros por hora, e causaram grandes prejuízos na região litorânea do sul dos Estados Unidos, especialmente em torno da região metropolitana de Nova Orleães, em 29 de agosto de 2005 onde mais de um milhão de pessoas foram evacuadas. O Furacão Katrina causou aproximadamente mil mortes, sendo um dos furacões mais destrutivos a ter atingido os Estados Unidos.

Em dezembro de 2007, os Estados Unidos entraram na maior recessão pós-Segunda Guerra Mundial. Isto levou a administração de Bush a ter um controle mais direto da economia, adotando vários programas econômicos destinados a preservar a estrutura financeira do país. Apesar de Bush ter sido um presidente popular em seu primeiro mandato, sua popularidade declinou drasticamente no segundo mandato. No pleito de 4 de novembro de 2008, Obama foi eleito o 44º presidente dos Estados Unidos, vencendo seu adversário John McCain, por uma diferença de 52% a 47% no total de votos. Aos 47 anos, ele torna-se o primeiro negro a governar o país, ao derrotar o rival republicano John McCain. Sua campanha política foi baseada no slogan “We Can” (Nós Podemos), prometendo tirar o país da crise econômica, e entre outras medidas, estabelecer novos padrões na política internacional. O fim da guerra do Iraque é uma das principais metas, além de ações diplomáticas no Oriente Médio, que incluem o diálogo com Irã e Síria. Na época, ele disse que as tropas norte-americanas devem se limitar ao Afeganistão, no combate à Al Qaeda.