FATOS QUE MARCARAM O ANO DE 2010 NO BRASIL E NO MUNDO

FATOS QUE MARCARAM O ANO DE 2010


A década de 2010 é a presente década que começou em 1 de Janeiro de 2010 e com termino em 31 de Dezembro de 2019. Dois assuntos dominaram o noticiário durante os anos de 2010 e 2011: os desastres ecológicos e a crise ecônomica mundial.

Um terremoto de 7,3 graus na escala de Richter provoca enorme destruição no Haiti, país mais pobre do Hemisfério Norte causando a morte de mais de 200 mil pessoas. Outro terremoto de 8,8 graus na Escala Richter ocorreu no Chile, causando alerta de Tsunami em todos os países com costa no Pacífico, desde a América até a Ásia e vitimando mais de 300 pessoas. Por estar mais preparado devido a seu histórico de terremotos, e por possuir melhor infra-estrutura que o Haiti; o Chile se recuperou mais facilmente que o primeiro. O terremoto ocorreu na madrugada de 27 de fevereiro e levou a presidenta a declarar estado de catástrofe.

No Brasil, o Rio de Janeiro sofre pela chuva forte, que matou mais de 200 pessoas, e deixou mais de 3.000 desabrigados. A chuva forte também foi sentida em outros estados do Nordeste, só que com menos intesidade. Na Islândia, o vulcão Eyjafjallajokull, a 120 km a sudeste da capital, Reykjavic, entra em atividade e suas cinzas são lançadas na atmosfera, causando um caos na aviação européia apenas comparado ao 11 de setembro.

Ocorre uma explosão da plataforma Deepwater Horizon no dia 20 de abril, no Golfo do México, nos Estados Unidos. O desastre consistiu na explosão da plataforma de petróleo semi-submersível, que pertence à Transocean e que estava sendo operada pela BP, afundando na quinta-feira seguinte à explosão, depois de ficar dois dias em chamas. Uma grande mancha de óleo se espalhou e chegou até ao estado de Louisiana. Houve 17 trabalhadores que ficaram feridos e 11 faleceram. A BP anunciou em 17 de julho de 2010 ter conseguido estancar temporariamente o derrame de petróleo, depois de instaladas novas válvulas que conseguiram travar o derrame.

No dia de 5 de agosto, acontece um acidente na mina San José de 2010, em Copiapó, no deserto chileno do Atacama. Cerca de 33 mineiros foram soterrados a 700 metros da superfície durante uma escavação. No dia 9 de outubro a escavadeira Plano B chegou até eles. No dia 13 de outubro, às 0h10, durante uma transmissão ao vivo para todo o planeta, foi resgatado o primeiro mineiro, Florencio Ávalos, sendo encaminhado para o Hospital Regional de Copiapó. Todos os outros foram salvos durante uma operação que durou cerca de 24 horas.

A Grécia entra em crise interna alarmando toda a Zona do Euro. A China se torna a segunda economia do mundo, ultrapassando o Japão. A Petrobrás se torna a segunda maior petrolífera do mundo e a quarta maior empresa do planeta, graças à capitalização de seus papéis na bolsa de valores. Em setembro do mesmo ano, a estatal valia cerca de US$225bi. No cinema, Avatar se torna o filme mais visto da história do cinema, superando Titanic. Até 25 de janeiro, o filme tinha faturado 562 milhões de dólares nos EUA e Canadá e 1,288 bilhões mundialmente, alcançando a cifra de 2,62 bilhão de dólares, assim se tornando a maior bilheteria da história e o primeiro filme a superar a marca de 2 bilhões de dólares.

Em 2010 foram realizadas eleições gerais no Brasil simultaneamente com a disputa presidencial. Foram renovados vinte e sete governos estaduais, dois terços do Senado Federal, a Câmara dos Deputados e os legislativos estaduais. A eleição presidencial brasileira de 2010 foi realizada em 3 de outubro, como parte das eleições gerais naquele país. Neste pleito, os cidadãos brasileiros aptos a votar escolheram o sucessor do atual presidente, Luiz Inácio Lula da Silva. Nenhum dos candidatos recebeu mais do que a metade dos votos válidos, e um segundo turno foi realizado no dia 31 de outubro, com Dilma Roussef (PT) e José Serra (PMDB) disputando o segundo turno. Dilma Roussef vence o segundo turno, sendo eleita a primeira mulher presidente do Brasil.

O ano de 2010 é marcado pelo Mundial de Futebol da África do Sul, o primeiro realizado num país africano, Copa do Mundo FIFA de 2010 foi a décima nona edição da Copa do Mundo FIFA de Futebol, que ocorreu de 11 de junho até 11 de julho. O evento foi sediado na África do Sul, tendo partidas realizadas nas cidades de Bloemfontein, Cidade do Cabo, Durban, Nelspruit, Polokwane, Porto Elizabeth, Pretória, Rustemburgo e Joanesburgo. Trinta e dois seleções nacionais foram qualificadas para participar desta edição do campeonato, sendo 13 delas europeias (Espanha, Países Baixos, Itália, Alemanha, Inglaterra, Dinamarca, França, Grécia, Portugal, Sérvia, Eslováquia, Eslovênia e Suíça), 8 americanas (Brasil, Argentina, Honduras, México, Estados Unidos, Chile, Paraguai e Uruguai), 6 africanas (África do Sul, Argélia, Camarões, Costa do Marfim, Gana e Nigéria), 3 asiáticas (Japão, Coreia do Sul e Coreia do Norte) e 2 oceânicas (Austrália e Nova Zelândia). A grande campeã da Copa foi a Seleção Espanhola, que havia conquistado a Eurocopa de 2008 em cima da Alemanha, ostentado o 3º lugar na Copa das Confederações de 2009 e era a 2ª colocada dentre todas as seleções no Ranking Mundial da FIFA.

Nos Estados Unidos, as consequências da crise econômica estão sendo a pauta do dia. Desemprego, foreclosures e instabilidade econômica estão marcando este ano. Assuntos polêmicos como a Reforma de Saúde proposta por Obama e a imigração ilegal no país, a lei do Arizona e as eleições para o congresso, senado e vários governadores de Estado, entre eles, o da Flórida, podem ser considerados os principais fatos do ano. A economia americana este ano e em 2011 estará crescendo a um ritmo mais lento do que o previsto, debilitada pelo gasto menor dos consumidores e dos governos para permitir que amortizem suas dívidas. O tema imigração ilegal ganhou destaque na imprensa com a criação de leis estaduais que restringem a entrada de estrangeiros. Em abril, o Arizona anunciou uma legislação que, entre outros pontos, tornava crime estadual a presença de imigrantes ilegais. A lei foi contestada e acabou entrando em vigor sem as partes mais polêmicas, bloqueadas pela Justiça até que se decida sobre sua constitucionalidade. Em agosto, a Flórida anunciou que estudava a adoção de uma lei “ainda mais dura” que a do Arizona. Até o momento, o assunto está “de molho”.