NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO ECOLÓGICA - UNIDADES ECOLÓGICAS


UNIDADES ECOLÓGICAS
Como toda a ciência, a ecologia necessita adotar subdivisões de seu objeto de estudo (a natureza). Para tanto, faz uso da teoria dos sistemas. Um sistema é um conjunto cujos elementos unem-se por meio de propriedades calcadas na interação, na interdependência e na sensibilidade a certos mecanismos reguladores de tal modo que formam um todo unificado (Odum, 1963).

Embora a ecologia ocupe-se em geral dos níveis superiores ao de populações, estudos de natureza ecofisiológica ou comportamental estão freqüentemente voltados ao acompanhamento individual dos organismos dentro de uma população. Entretanto, alguns conceitos são essenciais para que as unidades ecológicas possam ser mais bem entendidas. Tais conceitos são:

Espécie: Segundo o Conceito Biológico de Espécie, “espécie” é o conjunto de indivíduos capazes de se reproduzirem, gerando prole fértil (pelo menos potencialmente).
Exemplos: Homo sapiens, Daphnia gessneri, Entamoeba coli.

Nenhuma unidade menor de que organismo tem uma vida separada no ambiente (embora que para protistas e bactérias unicelulares célula e organismo são sinônimos). Cada organismo é limitado por uma membrana ou outra cobertura através da qual ele troca energia e matéria com seus arredores. Esta fronteira separa os processos e estruturas “internos” do sistema ecológico, neste caso um organismo dos recursos e condições “externos” da circunvizinhança. Os organismos modificam as condições do ambiente, transformando energia e processando materiais.

Ecótipo (raças ecológicas): São populações de uma mesma espécie que apresentam grande dispersão geográfica, mas que estão fisicamente separadas. Seus limites de tolerância ecológica ou de Shelford (segundo Odum, 1972) variam de acordo com a população considerada. Quando tais variações têm base genética, as populações são chamadas de raças genéticas; quando a base é puramente fisiológica, as populações são chamadas de raças fisiológicas (fenômeno da aclimatação). Por exemplo:

a) as populações da medusa Aurelia aurita no Oceano Atlântico apresentam os seguintes ecótipos: Aurelia aurita (variedade Halifax, ótimo de contração a 14ºC) e Aurelia aurita (variedade Tortugas, ótimo de contração a 29ºC);
b) a macrófita Typha sp. (taboa) exibe várias raças adaptadas a diferentes regiões climáticas nos trópicos, subtrópicos e na zona temperada.

População: Conjunto de indivíduos da mesma espécie que vive em um território cujos limites são em geral delimitados pelo ecossistema no qual essa população está presente. As populações são entidades reais cujos atributos distribuição espacial, densidade, estrutura etária, taxas de crescimento (produto líquido entre taxas de natalidade, mortalidade e migração) bem como suas relações de interdependência (simbioses) podem ser estimados quantitativamente em condições naturais/experimentais. Exemplos:

a. Myrmecophaga t. tridactyla (bicho-preguiça) no Parque Florestal do Rio Doce, Minas Gerais;
b. Byomphalaria straminea (caramujo planorbídeo) na Lagoa Santa, MG;
c. Panstrongylus megistrus (barbeiro hematófago), variedade Santa Catarina, com hábitat natural nas matas da Ilha de Florianópolis, Brasil.

Guilda: Grupos de populações de espécies diferentes que exploram a mesma classe de recursos e de forma parecida. Exemplo: Uma guilda de felinos sempre está relacionada com a competição.

Comunidade (= biocenose, biota): Muitas populações de diferentes espécies vivendo no mesmo lugar constituem uma comunidade. Exemplo: Comunidade biológica de uma floresta compõe-se de populações de arbustos, árvores, aves, formigas, microorganismos etc., que convivem e se inter-relacionam.

As comunidades não têm fronteiras rigidamente definidas; nenhum invólucro perceptível separa uma comunidade daquilo que a rodeia. A interconectividade dos sistemas ecológicos significa que as interações entre as populações se espalham através do globo.

Ecossistema: Conjunto formado pelas comunidades biológicas em interação com o ambiente físico e químico (abiótico).

Os ecossistemas são sistemas ecológicos complexos e grandes, às vezes incluindo milhares de diferentes tipos de organismos vivendo numa grande variedade de meios individuais (um pássaro na copa de uma árvore, uma bactéria no solo). Ecossistema de floresta, de campo, de estuário podem ser unidades distintas devido a pouca energia e substâncias que são trocadas entre as mesmas, em comparação com as inúmeras transformações que ocorrem dentro de cada uma delas.

Biosfera: Todos os ecossistemas estão ligados junto numa única biosfera, a qual inclui todos os meios ambientes e organismos na superfície da Terra.

As partes distantes da biosfera são interligadas através da energia e dos nutrientes transportados pelas correntes de vento e de água e pelos movimentos de organismos. Movimento de solo e plantas por animais, migração de aves, movimento da água da terra para o oceano etc.

Fonte: Mega Times e Klima Naturali
Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

Posts Relacionados