INTELIGÊNCIA ESTRATÉGICA NA ATUALIDADE - STRATEGIC INTELLIGENCE IN THE PRESENT


Desde os primórdios, quando o homem ainda tentava estabelecer um convívio em comunidade, surgiu a necessidade de antecipar fatos que pudessem ajudar e melhorar a vida de cada um. Naquele período os maiores bens eram o alimento e a segurança. Os grupos que se organizavam e antecipavam decisões, ainda que de forma rudimentar, obtinham maior sucesso na manutenção da superioridade..

Desde os primórdios, quando o homem ainda tentava estabelecer um convívio em comunidade, surgiu a necessidade de antecipar fatos que pudessem ajudar e melhorar a vida de cada um. Naquele período os maiores bens eram o alimento e a segurança. Os grupos que se organizavam e antecipavam decisões, ainda que de forma rudimentar, obtinham maior sucesso na manutenção da superioridade.

Para matar os mamutes era necessário estabelecer uma estrategia a ser seguida pelo grupo, onde inicialmente o grupo deveria buscar o melhor local para a abordagem, o melhor dia, traçar estrategias de como reagir se houvesse fatores complicadores. O objetivo final era levar o mamute a beira do penhasco e força-lo a cair, morrendo pela queda .Outra parte do grupo estaria la embaixo aguardando para retalha-lo e dividi-lo entre todos os participes.

Frente as necessidades do homem estabeleceram-se seguidas evoluções no escopo da antevisão do futuro , não somente de forma cabalista ou religiosa. Esta antevisão feita por meio de pesquisas de campo, comparações e obtenção de dados negados era o embrião da Inteligencia Estratégica.

A inteligencia estratégica teve seus momentos nas grandes guerras mundiais, porém o marco de transformação para os conceitos atuais , foi o triste episodio de 11 de setembro de 2001. O ato terrorista que abalou as estruturas de segurança mundial , expondo a fragilidade dos sistemas até então utilizados, transformou as operadoras de inteligencia objetivando a obtenção de dados confiáveis com maior rapidez e confiabilidade.

Quando se estudou as causas das falhas ocorridas no episodio “Torres Gêmeas”, uma das descobertas é que as Agencias de Inteligencia haviam se tornado órgãos excessivamente burocráticos , morosos e pouco dispostos a passar por riscos.

A resposta para este viés foi a remodelação do papel da inteligencia no mundo , utilizando a premissa que “Inteligencia é mais que uma simples atividade, é um processo”.

A globalização, a necessidade dos países em garantir seus mercados, o estabelecimento de três blocos econômicos preponderantes, a dependência da alta tecnologia, as ameaças globais( naturais e o terrorismo) entre outros, foram a mola mestra na concepção dos novos valores de ações da Inteligencia Estratégica.

A Terra se tornou o jardim de nossa casa por meio da Internet. Trabalhamos com conceitos de “just in time” , informações em tempo real, com o poder individual por trás de um teclado de computador.

Empresas se fundindo, outras incorporando as menores, tudo em um contexto altamente competitivo. A Inteligencia competitiva exigiu dos operadores de inteligencia um produto final que acrescentasse alem de informações tratadas, o assessoramento nas tomadas das decisões, suporte a comercialização e melhoria da competitividade.

A Inteligencia saiu da contemplação para ações pro ativas , buscando eficacia e efetividade dentro das organizações que são suas clientes internas.

A Organização que pretende estar inserida nos avanços que ocorrerão nos próximos dez anos , quando estima-se que mais de 50% dos processos dependerão de tecnologia inédita( descobertas a serem feitas ainda), não pode se furtar de estabelecer um cenário com futuros possíveis afim de definir estrategias. E quem será o fiel da balança?

A Inteligencia Estratégica!

Leandro Presumido Junior [Leandro]